16 de janeiro de 2011

Otto Bumbel

Pedro Otto Bumbel nasceu no dia 6 de Julho de 1914 em Taquara; Brasil.
Treinou o Futebol Clube do Porto na temporada de 1957/58.
No campeonato, igualou os 43 pontos do Sporting C.P. mas perdeu no “goal-average”. Mas conseguiu para o F.C. Porto a segunda Taça de Portugal da história do clube (2 vitórias em 3 épocas), ao vencer o S.L. Benfica por 1-0 no Estádio Nacional. O golo foi da autoria de Hernâni.
Nas meias-finais, depois de deixar pelo caminho o S.C. Braga e o Marítimo S.C. os Dragões eliminaram o Sporting C.P. (2-2 e 3-0). Numas segundas meias-finais , abertas aos clubes ultramarinos, o F.C. Porto deixou pelo caminho o Desportivo de Lourenço Marques (6-2 e 9-1).
Na final, arbitrada por Álvaro Rodrigues o F.C. Porto alinhou com: Pinho; Virgílio e Barbosa; Ângelo Sarmento, Miguel Arcanjo e Albano Sarmento; Carlos Duarte, Gastão, Osvaldo Silva, Hernâni e Perdigão.
Depois de deixar o F.C. Porto, Otto Bumbel rumou a Espanha onde orientou: Valência, Racing de Santander, Elche, Sevilha, Atlético de Madrid, Málaga e Racing de Ferrol.
A principal razão para Otto Bumbel estar muito tempo fora do Brasil, deveu-se à sua ida para a Costa Rica em 1951 para treinar o C.D. Saprissa. Como Bumbel também era militar, foi dado como desertor e não voltou ao Brasil num período de 10 anos para evitar ser detido.
Depois de finalmente voltar ao seu país, trabalhou como jornalista para alguns jornais europeus.
No dia 5 de Agosto de 1998, foi encontrado morto em sua casa, onde terá falecido três dias antes.

Palmarés
1 Taça de Portugal
1 Taça de Espanha

9 de janeiro de 2011

Flávio

Flávio Almeida da Fonseca nasceu no dia 9 de Setembro de 1944 em Porto Alegre; Brasil.
Ainda criança, começou por jogar futebol num pequeno clube do seu bairro, até que em 1959 conseguiu entrar para as escolas de formação do S.C. Internacional. Com apenas 17 anos estreou-se na equipa principal do clube de Porto Alegre tendo-se sagrado campeão gaúcho.
Em 1965 rumou ao S.C. Corinthians. Representou o clube de São Paulo durante cinco anos, onde o ponto mais alto aconteceu em 1967 quando foi o melhor marcador do campeonato estadual com 21 golos, tendo assim batido o recorde de Pelé.
Em 1969, Flávio transferiu-se para o Fluminense F.C. e sagrou-se campeão carioca nesse mesmo ano. Ainda venceu o Torneio Roberto Gomes Pedrosa em 1970 e voltou a conquistar o campeonato carioca de 1971. Nesses três anos ao serviço do Fluminense F.C., Flávio marcou 92 golos em 115 partidas.
Na temporada de 1971/72 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A direcção presidida por Afonso Pinto de Magalhães desembolsou 2.375 contos, uma fortuna na época, e foram muitos os adeptos portistas que receberam com euforia o jogador na sua chegada ao aeroporto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 8 de Setembro de 1971 no Estádio Municipal de Tomar, quando os azuis e brancos visitaram e venceram o União de Tomar por 2-0, numa partida a contar para a 2ª jornada do Campeonato Nacional de 1971/72. foi ainda nesse jogo que Flávio também se estreou nos golos ao abrir o marcador aos 29 minutos de jogo.
Com a camisola do F.C. Porto, Flávio não conquistou nenhum troféu. Nas quatro temporadas que representou os Dragões, formou com Abel a dupla atacante que ainda hoje é recordada por muitos adeptos. Nesse período, Flávio foi por duas vezes o melhor marcador da equipa (1971/72 e 1972/73). Marcou 54 golos e disputou 90 jogos oficiais.
Em 1975 voltou ao Brasil e ao S.C. Internacional ainda a tempo de voltar a ser campeão gaúcho, campeão brasileiro e melhor marcador do campeonato brasileiro.
Em 1977 ingressou no S.C. Pelotas, onde foi o melhor marcador do campeonato gaúcho. Ainda em 1977 mudou-se para o Santos F.C. seguiu-se depois o Figueirense F.C., Brasília F.C. e o Clube Jorge Wilstermann da Bolívia.
Segundo a edição especial “Os Grandes Artilheiros” da revista brasileira “Placar”, Flávio é o 8º maior goleador do mundo com 1.070 golos marcados.

Palmarés
3 Campeonatos Gaúchos
2 Campeonatos Cariocas
1 Campeonato Brasileiro
1 Torneio Roberto Gomes Pedrosa